Kaká marca primeiro gol na MLS para público recorde do estádio Citrus Bowl em estreia do Orlando City na liga-Por Marcos peres


 

62.510 mil pessoas. Público recorde do estádio Citrus Bowl, superando até mesmo os jogos da Copa do Mundo da de 1994. O Orlando City já havia feito história antes mesmo de entrar em campo pela primeira vez pela Major League Soccer (MLS), para o confronto com o New York City FC nesse domingo. Moradores da Flórida se misturaram a turistas de diversas partes do mundo, muitos deles brasileiros.

Kaká marcou o primeiro gol dos Lions na MLS já nos acréscimos, aos 46 do segundo tempo, em um jogo que não poderia ser mais emocionante. Naquele momento, o Orlando City perdia por 1 a 0 e tinha um homem a menos em campo. A partida terminou empatada em 1 a 1.

“Fantástico o primeiro jogo. Quanto ao resultado, claro que todos nós queríamos uma vitória, mas tudo aquilo que foi feito aqui foi demais,“ disse Kaká. “Eu realmente tinha o desejo de fazer o primeiro gol da história desse clube na liga e deu certo, fiz o primeiro gol. Queria agradecer a todo mundo que participou disso. 62 mil pessoas aqui, o estádio estava lindo, a cidade abraçou o jogo de uma forma fantástica. Realmente uma estreia maravilhosa. Ainda vamos melhorar muito, mas esse jogo foi histórico.”

Antes mesmo da partida começar, ao ver a primeira escalação da história dos Lions na MLS no telão do estádio, o proprietário do Orlando City, o brasileiro Flávio Augusto da Silva, se emocionou. Abraçado aos dois filhos que o acompanham desde a fundação do clube, em 2010, o presidente do OCSC, Phil Rawlins, gritava alto o nome de cada jogador. O técnico Adrian Heath entrou em campo agitando os braços e pedindo o grito da torcida, que respondeu com um rugido ensurdecedor, que tornou a estreia dos Lions na maior liga da América do Norte inesquecível.

Quando os jogadores do plantel inaugural dos Lions na MLS ganharam o gramado, foram ovacionados. A partida também marcou a estreia do New York City FC na liga e de sua estrela, o atacante David Villa, campeão do mundo com a seleção espanhola.

Kaká quase marcou o primeiro gol dele na liga norte-americana já aos 11 minutos do primeiro tempo, aproveitando o passe do lateral da seleção portuguesa sub-20 Rafael Ramos.

Aos 25 do primeiro tempo, Rafael Ramos trabalhou com o atacante colombiano Carlos Rivas, que chutou de fora da área, obrigando o goleiro do NYCFC, Josh Saunders, a desviar a bola para escanteio.

Aos 37, o atacante da seleção de Trinidad e Tobago, Kevin Molino entregou para Kaká finalizar de perna direita, quase na meia-lua da grande área. Saunders fez uma ótima desefa.

No início do segundo tempo, Molino criou a melhor chance de gol do jogo, chutando cruzado. Saunders alcançou com as pontas dos dedos.

Aos 30 minutos da segunda etapa, David Villa carregou a bola pela direita do ataque do NYCFC e encontrou o atacante da seleção dos EUA, Mix Diskerud, na entrada da área, de frente para o gol. Diskerud botou efeito na bola, que fez uma curva, saindo do alcance do goleiro Donovan Ricketts. Diskerud marcou o primeiro gol da história do NYCFC na MLS.

A sete minutos do fim da etapa regulamentar, o zagueiro do Orlando City, Aurélien Collin, foi expulso, depois de um carrinho em David Villa. Perdendo por um a zero, com um jogador a menos, o Orlando City não se encolheu. Tampouco os 62,5 mil torcedores.

Aos 46 do segundo, Kaká arrumou a bola para cobrança de falta de frente para o gol, a cerca de 8 metros da área. O craque viu uma abertura na barreira e chutou rasteiro. A bola desviou em um dos homens do NYCFC e enganou o goleiro Saunders. O primeiro gol de Kaká, o gol inaugural do Orlando City na liga norte-americana.

Orlando City 1×1 New York City FC
Gols
NYCFC – Mix Diskerud
Orlando City – Kaká
Escalações: 
Orlando City – Donovan Ricketts; Rafael Ramos, Collin, Seb Hines e Brek Shea; Amobi Okugo, Cristian Higuita, Kevin Molino, Kaká e Lewis Neal (Bryan Róchez 35’ 2˚ tempo); Carlos Rivas (St. Ledger 45’ 2˚ tempo)
New York City FC – Josh Saunders; Josh Williams, Jason Hernandez, Chris Wingert e Jeb Brovsky; Mehdi Ballouchy, Ned Grabavoy, Mix Diskerud (Sebastian Velasquez 37’ 2˚ tempo) e Andrew Jacobson; David Villa e Adam Nemec (Javier Calle 38’ 2˚ tempo)
Público: 62,510
Cartões
ORL – Brek Shea (amarelo) 28’
ORL – Kevin Molino (amarelo) 40’
NYC – Mehdi Ballouchy (amarelo) 41’
NYC – Jason Hernandez (amarelo) 8’ 2˚ tempo
ORL – Jeb Brovksy (amarelo) 15’ 2˚ tempo
ORL – Crisitan Higuita (amarelo) 32’ 2˚ tempo
ORL – Aurélien Collin (vermelho) 37’ 2˚ tempo
Estatísticas:
Chutes:
ORL – 15
NYC – 8
Faltas:
ORL – 14
NYC – 17
Impedimentos:
ORL – 6
NYC – 1
Escanteios:
ORL – 6
NYC – 1

O Orlando City enfrenta o Houston Dynamo fora de casa na próxima sexta-feira, dia 13 de março, às 19h no horário de Orlando (20h de Brasília). O próximo jogo no estádio Citrus Bowl será contra o Vancouver Whitecaps FC, dia 21 de março, às 19h30 da noite (20h30 de Brasília).

Para comprar boletos de la temporada, visite www.OrlandoCitySC.com. Para mais informações, acompanhe o Orlando City em www.OrlandoCitySC.com, Facebook, Twitter, YouTube e Instagram.